"Serpentário", "Sol Negro" e "Cães Que Ladram Aos Pássaros" na Viennale

18 Outubro 2019

"Serpentário", "Sol Negro" e "Cães Que Ladram Aos Pássaros" terão a sua estreia austríaca na Viennale

A longa-metragem “Serpentário” de Carlos Conceição e as curtas-metragens “Sol Negro” de Maureen Fazendeiro e "Cães Que Ladram Aos Pássaros" de Leonor Teles farão a sua estreia em território austríaco na Viennale, o mais importante evento internacional dedicado ao cinema na Áustria, bem como um dos mais antigos e mais conhecidos festivais do mundo de língua alemã. que se realizará de 24 de Outubro a 6 de Novembro.

"Cães Que Ladram Aos Pássaros" de Leonor Teles foi estreado em Setembro no Festival Internacional de Cinema de Veneza, na secção competitiva Orizzonti Short Films Competition onde resultou a nomeação para os European Film Awards (EFA) de 2019. 
Adrian Martin, programador da Viennale, apresenta o filme da seguinte forma na página do festival“Gentrificação social”, conforme definida, clínica e desapaixonadamente, na Wikipedia: Teles parte dessa informação adicionando um toque de fina ironia. O seu objetivo é diferente: observar como é o deslocamento social de indivíduos e famílias (consequência do turismo) de uma perspectiva íntima, como experiência vivida. Especialmente quando se é adolescente, quando mudanças constantes, mobilidade e transitoriedade são a norma. Crónica fragmentada não-muito-narrativa de um instante de Vicente e seus amigos no Porto, este filme refrescante e animado tem um ambiente de Leos Carax, alternando entre preocupação, raiva e energia juvenil.

"Sol Negro" de Maureen Fazendeiro teve estreia mundial em Julho último no Curtas Vila do Conde e a sua estreia internacional teve lugar na secção Wavelengths do Festival Internacional de Cinema de Toronto e será apresentado pela realizadora em Viena na secção Shorts.
O programador Michael Sicinski, descreve o filme no site do evento: Partindo do recente eclipse solar parcial como tema ostensivo, o filme de Fazendeiro é uma meditação sobre o papel que a luz desempenha na formação da consciência. Com essa finalidade, ouvimos Delphine Seyrig lendo um poema de Henri Michaux sobre uma terra onde a luz solar é um bem precioso. Fazendeiro abre o filme com imagens coloridas - montanhas, vulcões, cachoeiras - que se assemelham às gravações etnográficas dos primeiros exploradores. No contexto, esse material parece sugerir que, ao mesmo tempo, tudo antes da câmara parecia fora de alcance, impossível de ver. Agora, nem mesmo o sol está fora dos limites dos nossos olhos.

Serpentário” de Carlos Conceição teve a sua estreia mundial na secção Fórum do festival de Berlim obteve o prémio Nuove Visione no Sicilia Queer, em Itália, o Prémio do Público do Burgas Film Festival, na Bulgária. O filme será apresentado pelo seu realizador e actor João Arrais, na secção Features da Viennale, que inclui os filmes de Pedro Costa, Agnés Varda, Nadav Lapid ou irmãos Dardenne.
"Serpentário", desdobra-se diante de nossos olhos como uma jornada hipnótica entre lembranças e visões premonitórias, e a ideia de viagem como ponto de partida para uma busca pessoal e coletiva.
- descreve Nico Marzano na página que o festival dedica ao filme.

Alto Patrocínio

Apoio

Membro fundador