Retrospetiva de João Viana em Paris

01 Fevereiro 2021

João Viana apresenta a 1 de fevereiro, em Montmartre e Marais, a retrospetiva, que inclui quatro curtas metragens distribuídas pela Agência, duas longas e uma instalação inédita de sete projeções.

O cineasta João Viana apresenta a 1 de fevereiro, em Paris, a sua obra, numa retrospetiva comissariada pela Cité International des Arts, onde o realizador está atualmente em residência artística. A mostra terá lugar no Auditório e no Studio 5 da Cité des Arts e será apresentada por Jean-Michel Frodon, jornalista e crítico de cinema francês, Sabine Lancelin, diretora de Imagem na La Fémis (Escola Superior de Imagem e Som), e João Pinharanda, conselheiro cultural da Embaixada de Portugal em França.

A retrospetiva inclui quatro curtas-metragens distribuídas pela Agência da Curta Metragem: "A Piscina" (2004), "Alfama" (2009), "Tabatô" (2013) e "Madness" (2018); e as longas-metragens "A Batalha de Tabatô" (2013) e "Our Madness" (2018). Paralelamente, será apresentada uma instalação inédita do autor intitulada "Si Noir Si Bleu", que aborda o tema da COVID-19 em África e teve o patrocínio da La Fémis, da delegação em Paris da Fundação Calouste Gulbenkian e da Embaixada de Portugal em França.

João Viana nasceu em Angola, em 1966. Entre 1988 e 1994, licenciou-se em direito em Coimbra e estudou cinema no Porto. Trabalhou em produção, som, story-board, realização e finalmente argumento. Em 2007 escreveu " Olhos Vermelhos" para Paulo Rocha. Entretanto trabalhou com cineastas como José Alvaro, Rob Rombout, Filipe Rocha, Sagueneil, Seixas Santos, Cesar Monteiro, Grilo, Biette, Manuel de Oliveira , Schroeter... Começou a realizar os seus próprios filmes em 2004, ao lado de Iana Ferreira, com o filme A PISCINA (Festival de Veneza, em competição). Presentemente trabalha na sua primeira longa metragem, produzida pela produtora que fundou, Papaveronoir.

A Cité International des Arts foi fundada em Paris em 1965. Seleciona anualmente artistas de todo o mundo em programas de residência de forma a encorajar o diálogo cultural e a permitir o encontro entre os artistas e o seu público. No site da Cité des Arts pode ler-se: "João Viana é um cineasta luso-angolano cujos filmes foram premiados ou selecionados para os festivais de Veneza, Berlim ou Cannes. João Viana é conhecido por fazer uma curta e uma longa metragem que funcionam em uníssono. Foi selecionado para La Cinefondation de Cannes (2015) e duas vezes para a prestigiado programa de residência alemão DAAD (2013 e 2018). Em Paris prepara os seus próximos filmes: "Kwanza Sul" e "Kwanza Norte".

Alto Patrocínio

Apoio

Membro fundador