Altötting” e “Elo" são os vencedores do Cinanima

14 Novembro 2020

A curta-metragem de animação “Altötting”, do realizador alemão Andreas Hykade, acaba de receber o Grande Prémio do CINANIMA 2020 (Prémio Cidade de Espinho) para o melhor filme da competição internacional. “Elo” de Alexandra Ramires foi distinguido com o galardão principal da competição nacional, o Prémio António Gaio.

O Grande Prémio foi atribuído  a “Altötting" pelo júri presidido pelo realizador Manuel Mozos, a curadora e distribuidora britânica Jayne Pilling e a realizadora de animação francesa Florence Miailhe. O filme conta a forma como o realizador se apaixonou pela Virgem Maria durante a sua infância, na pequena cidade da Baviera onde nasceu que tem o nome do filme, "a Fátima alemã", famosa pela sua igreja recheada de ícones populares em honra da Virgem.  Estreado em Junho passado no prestigiado festival de Annecy, em França, é uma co-produção entre Alemanha (Studio Film Bilder), Canadá (ONF) e Portugal, sendo a Ciclope Filmes, de Abi Feijó, responsável pela parte portuguesa.

“Elo”, que recebeu o prémio da competição nacional das mãos de Bruno Caetano, Paulo Gomes e Vier Nev, é uma co-produção entre a Bando à Parte (Portugal) e a Providences (França). Animada a partir de desenhos em grafite e pó de grafite, explora o encontro de duas personagens que procuram adaptar-se na tentativa de se encaixarem em padrões instituídos. O filme foi exibido em competição no Festival de Toronto, recebeu o Prémio de Animação do festival de Chicago, nos Estados Unidos, e do Curtas Vila do Conde em Portugal e o Grande Prémio no festival Animatou, na Suíça. O filme foi galardoado ainda com o prémio da competição nacional do Vista Curta, em Viseu.

A 44ª edição do festival, cujo encerramento e entrega de prémios estavam previstos para esta noite, prescindiu da componente presencial, em sala, mantendo a programação completa acessível através de plataformas online. 

Alto Patrocínio

Apoio

Membro fundador